Arquivo da categoria: Anúncios

Maio, mês de Poesia

Não me refiro, é claro, ao maio das noivas e das promessas de amor e fidelidade até que a morte ou outras atribulações separe os casais ajuramentados, nem ao mês das Marias e das Mães. Maio de 2010 registrará, nos dias 14, 15 e 16, o IV Encontro Internacional da Poesia, na cidade de Dois Córregos, São Paulo. Veja o convite abaixo.

Mas estão anunciados outros encontros importantes para o mesmo mês. De 15 a 22 de maio ocorrerá o VII Encontro Internacional de Poetas, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. em Portugal. Segundo nota sobre o evento, ele  será subordinado ao tema As Línguas da Poesia. Alguém disse já que a língua da poesia é sempre a mesma, e sempre estrangeira. Eis o que, com a vossa ajuda, queremos repensar, considerando a materialidade do corpo na língua-órgão e na corporalidade dos gestos, a língua como comunidade falante, a singularidade na diversidade das falas, a intertraduzibilidade das expressões. O nosso objetivo é refletir sobre as mais diversas manifestações da poesia e os modos como ela diz o mundo, do puro canto à celebração, da proclamação ao silêncio, da intervenção à resistência, das continuidades às rupturas.

E em Funchal, na Ilha da Madeira, também em Portugal, será realizado o IV Encontro Internacional de Poesia. Seus organizadores anunciam que “este ano não nos limitaremos a ouvir a voz dos poetas, que vêm de vários países, mas também de ouvir o que têm a dizer sobre o mundo em que vivemos“.

Afinal, quem disse que a Poesia está morrendo?

Poesia, a parnacéia*


* Parnacéia— de Parnasòs (monte da Grécia onde se encontrava a morada de Apolo e das Musas, depois também passou a significar academia ou reunião de poetas, coletânea de poemas) e céia, do grego ákos, remédio. Neologismo criado no laboratório do Banco da Poesia, semelhante a panacéia, remédio que cura todas as doenças. (C. de A.)

Vera Lúcia reclama da Justiça

Vera Lúcia Kalahari envia uma crônica dura, na qual faz sua reclamação. E a reclamada é a própria Justiça, que não é aplicada de maneira justa para conter a fome e a sede dos ambiciosos de cada dia, distribuídos nos vários escalões da sociedade, principalmente nas esferas da administração pública, que deceriam ser as primeiras a dar exemplos de probidade.

Você sabe quem é o ladrão? O ladrão é… Melhor saber diretamente com Vera Lúcia, na página de Crônicas.  Clique aqui e boa leitura.

Um Prêmio para Marilda Confortin

Convite

A Secretaria-Geral da Presidência da República, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade convidam para a solenidade de entrega do Prêmio ODM Brasil (3.ª Edição) e do Lançamento do 4.º Relatório de Acompanhamento dos Objetivos do Milênio.

A solenidade será realizada em Brasília, conforme segue:

Data: 24 de março de 2010 ( quarta-feira)
Horário: às 16 horas
Local: Centro de Convenções Ulysses Guimarães – Auditório Planalto
Endereço: SDC – Centro de Divulgação Cultural – Eixo Monumental.

Transmissão ao vivo: http://www.odmbrasil.org.br/noticias_detalhes/55/premiacao-sera-dia-24-de-marco-em-brasilia

_________________________________________________________

E nos conta Marilda:

Pois é… a boa notícia é que eu estarei lá, para receber esse prêmio juntamente com representantes da equipe da Secretaria Municipal de Educação que ajudou a implantar a Rede de Bibliotecas Escolares em Curitiba, o projeto premiado.

Iniciamos a Rede de Bibliotecas em 2005, quando tínhamos apenas os 45 Faróis do Saber. Hoje, são 170 bibliotecas municipais integradas por um sistema web que permite localizar qualquer título existente no acervo de mais de 700 MIL livros. O plano para o futuro é integrar também as bibliotecas da Fundação Cultural. Aí, serão mais de 1 milhão de livros catalogados para que ninguém nessa cidade tenha a desculpa de não ler. Todas as bibliotecas são abertas à população. É só procurar a mais próxima de sua casa.

Para consultar o endereço das bibliotecas ou pesquisar o catálogo de livros, clique no link: http://www.cidadedoconhecimento.org.br/cidadedoconhecimento/index.php?subcan=12

Dos 1470 projetos avaliados pelo IPEA, foram premiadas as seguintes prefeituras:

– Prefeitura de Belo Horizonte (MG) – Prática: Programa Abastecer
– Prefeitura de Boa Vista (RR) – Prática: Programa Municipal de Saúde Indígena
– Prefeitura de Boa Vista (RR) – Prática: Projeto Estufa
– Prefeitura de Caculé (BA) – Prática: Coleta seletiva de materiais recicláveis
– Prefeitura de Campinas (SP) – Prática: Nave Mãe
Prefeitura de Curitiba (PR) – Prática: Rede Municipal de bibliotecas escolares de Curitiba
– Prefeitura de Novo Repartimento (PA) – Prática: Sustentabilidade ambiental através do cultivo de cacau, pelo SAF
– Prefeitura de Orós (CE) – Prática: Cozinha Comunitária – Nutrição à Mesa
– Prefeitura de Osasco (SP) – Prática: Vigilância da Criança com risco de mortalidade
– Prefeitura de Osasco (SP) – Prática: Recuperação de Minas e Nascentes.
– Prefeitura de Penápolis (SP) – Prática: Agricultura Urbana.

Marilda termina seu recado dizendo: ” Legal, né?”

E nós lhe dizemos: Mais que legal: maravilhoso. Já publicamos em outra ocasião, mas seu trabalho merece ser louvado com os belos versos de Castro Alves:

Oh! Bendito o que semeia
livros… livros à mão cheia
e manda o povo pensar!
O livro cainda n’alma
é germe – que faz a palma,
é chuva – que faz o mar.

Parabéns, Marilda!

Dia Mundial da Poesia

Hoje, 21 de março de 2010, mais de cem países estão comemorando o Dia Mundial da Poesia, instituído pela UNESCO há dez anos, com o objetivo de defender a diversidade linguística.

O Banco da Poesia registra a data com um poema de Fernando Pessoa – Liberdade, quase uma brincadeira literária, mas eternamente belo.  Com uma versão musicada do mesmom poema, de autoria de Ronaldo Miranda, gravada no Recital de Graduação em Regência Coral da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 2007, no Instituto de Artes daquela universidade, com a regente Luana Lied Zapata.

E publicamos, logo abaixo, o primeiro anúncio sobre Poesia, de uma série que vamos revelar pouco a pouco. Afinal, seria muito bom se a Poesia fosse considerada um bem de primeira necessidade e estivesse entre os produtos mais consumidos em nossa sociedade.

Liberdade

Fernando Pessoa

Grafismo sobre desenho de Almada Negreiros

Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
O rio corre bem ou mal,
sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
como tem tempo, não tem pressa…

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças…
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca…

Fernando Pessoa


Exposição Zimmermann & Lipmann

Artur Alonso Novelhe diz o que é Poesia

Novo depoimento recebido. Desta vez é de Artur Alonso Novelhe, da Galícia – Espanha, correntista do Banco da Poesia. Leia sua opinião aqui.

O que é Poesia — mais três depoimentos

Mais três correntistas do Banco da Poesia encaminharam depoimentos sobre para a mnossa página especial de aniversário. Leia aqui.

Amanhã tem Dante no Passeio Público

A edição é da  Bernúncia Editora, de Florianópolis, do nosso amigo Vinicius Alves.

Novo livro de Dante Mendonça